Vilão ou mocinho? Segredo do café é a quantidade

Vilão ou mocinho? Segredo do café é a quantidade

Paixão nacional, o cafezinho tem destaque no desjejum e segue acompanhando o dia a dia das pessoas, no trabalho e nas refeições seguintes. A bebida, que tem várias formas de “tirar”, indo do tradicional coado, ao requintado espresso, é controversa quando se trata da saúde.Os efeitos do café no organismo são controversos, associados com efeitos negativos, por um lado, e protetor, de outro. Passam pela associação com o aumento da pressão arterial, os níveis de colesterol e chegam a ter considerado um efeito protetor contra doenças cardiovasculares e estimulador do metabolismo.

A publicação Desmistificando Dúvidas Sobre a Alimentação, produzida pelo Ministério da Saúde junto com a Universidade Federal de Minas Gerais, destaca que “os efeitos do café no organismo derivam de substâncias bioativas como a cafeína, estimulante do sistema nervoso e do músculo cardíaco; ácidos clorogênicos, que possuem atividade anticancerígena e propriedades antioxidantes; e diterpenos, relacionados com o metabolismo lipídico”.

Uma linha estudada trata da ação antioxidante do café, por ser uma das fontes dietéticas mais ricas de ácidos clorogênicos, um polinefol vegetal. Isso indica a inibição de inflamações e risco menor de doenças cardiovasculares e outras doenças inflamatórias. Mas o consumo em excesso, de mais de três xícaras por dia, em média, pode causar algum tipo de mal e estar a associado com pressão alta ou gerar ansiedade.

É o que explica a nutricionista, barista e docente do Senac de São Paulo, Maria Carolina Lazzarini. “O café está associado a milhares de benefícios. É antioxidante, ajuda no emagrecimento, na prevenção de várias doenças e seu uso diário acaba ajudando em questões como stress e prevenção da doença de Alzheimer. A chave está na quantidade. No consumo sem exagero”, afirma.

Segundo Lazzarini, a maneira como o café é produzido também afeta suas propriedades e, claro, o sabor. Entre os pecados estão deixar a água ferver, colocar pó demais (o recomendado é 10 gramas para cada 100ml) e fazer líquido demais e deixar esquentando na cafeteira ou guardado na garrafa térmica. O prazo limite para reaproveitar a bebida é de 30 minutos.

O livro Desmistificando Dúvidas Sobre a Alimentação reforça esse ponto. “A relação entre o consumo de café e a elevação dos níveis séricos de colesterol, encontrados em alguns estudos, parece estar relacionada ao modo de preparo da bebida. Cafés turco ou fervido possuem maiores concentrações de cafestol, substância responsável pelo aumento dos níveis séricos de LDL-c, do que os cafés filtrados ou instantâneos”.

Dicas

– Prepare somente a quantidade de bebida que vai ser consumida imediatamente;
– Se for utilizar coador de pano, lave somente com água;
– Filtro de papel deve ter o mesmo tamanho e forma do porta-filtros
– Não compacte, nem aperte a camada de café no filtro
– Escalde o bule ou garrafa térmica pouco antes de fazer a bebida
– A água deve ser pura e limpa, preferencialmente filtrada ou mineral

Tipos de preparo

Filtragem
É a forma de fazer o tradicional cafezinho, com o pó acondicionado em um filtro, de papel ou de pano, com adição de água quente não fervente por cima.

Percolação
Forma mais comum na Europa, o pó de café vai no centro de um equipamento moka que, na chama do fogão, ferve a água e pressiona o café líquido para um recipiente

Prensagem
Popular nos Estados Unidos, mas conhecido por prensa francesa, tem o pó de café misturado com água quente, que passa por um filtro e é pressionado por um êmbolo.

Pressão
O café expresso é moído na hora e vai em um filtro que sofre uma pressão de água a 90ºC e 9Kg de pressão durante 30 segundos, gerando uma bebida cremosa e aromática.

4 Dicas de saúde que vão mudar a sua vida

4 Dicas de saúde que vão mudar a sua vida

Vivemos um estilo de vida tão corrido que muitas vezes pequenas atitudes passam despercebidas e podem mudar nossas vidas. Pequenas dicas bem simples, quando seguidas com certa regularidade, podem alterar inclusive sua saúde e bem-estar. Para isso, montamos um guia de dicas rápidas e práticas que vão te ajudar a ser uma pessoa melhor em todos os sentidos.

Durma!

Parece clichê, mas dormir bem ainda é a dica mais valiosa de todos os tempos. Desligar seu corpo por cerca de 7 ou 8 horas de sono diárias vão te livrar de uma série de doenças, além de te deixar com as energias carregadas para viver o dia seguinte.

Faça exercícios físicos!

A primeira série de dicas é bem simples, coisas que todos nós sabemos mas não praticamos de fato. Para completar o nosso tripé da saúde e bem-estar, fica faltando o exercício físico. Ninguém consegue se manter bem disposto e ativo, com uma saúde em perfeito estado se não praticar ao menos 30 minutos de atividades físicas diárias. Se você é um daqueles que pensa que seu dia não comporta o tempo gasto em uma academia, pense que aqueles 30 minutinhos a mais de sono pela manhã poderiam se tornar sua atividade do dia, melhorando seu bem-estar e saúde de uma maneira radical.

Se mesmo assim você acha que ainda não dá tempo de se exercitar, faça pequenas mudanças. Troque o elevador pela escada, evite o uso do carro para fazer compras ou atividades próximas, carregue as sacolas no supermercado e se tiver um tempo extra, use sua força para lavar algumas peças de roupa que iriam para máquina na mão. Essas mudanças já vão fazer seu corpo mais ativo e você vai sentir a diferença.

Coma bem!

A alimentação também exerce um papel importantíssimo na nossa qualidade de vida. Se você não é acostumado a tomar café da manhã, experimente mudar um pouco a sua rotina. Consumir frutas, castanhas e cereais pela manhã ajudam a construir e manter a energia adquirida durante uma boa noite de sono, fora que te deixa com menos fome durante o dia, fazendo você comer menos evitando os quilinhos a mais.

Cuide da sua saúde mental!

Outro ponto muito importante é a nossa saúde mental. O que você anda fazendo para manter a sua mente saudável e livre de problemas desnecessários? Comece pensando no que realmente vale a pena se importar. Depois pense se aquele problema pode ser resolvido por alguma outra pessoa senão você. Livre sua mente dos pensamentos ruins e pessimistas, seja generoso e sinta-se melhor por isso. O bem-estar provoca o aumento de hormônios da satisfação, deixando você cada dia mais feliz e realizado.

Procure programar-se para fazer uma atividade da qual você gosta e te da prazer.

Ser saudável te leva a ser mais feliz e isso é uma escolha que só você pode fazer. Experimente mudar pequenos hábitos e sinta a diferença!

Recomendações do tempo da atividade física por faixa etária

Recomendações do tempo da atividade física por faixa etária

A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou recomendações para a intensidade ideal de atividade física de acordo com a idade

A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou recomendações para a intensidade ideal de atividade física de acordo com a idade

Crianças e adolescentes devem participar de brincadeiras, jogos, esportes, educação física e atividades que envolvam recreação e locomoção, com a família, amigos e colegas.

Quem está nessa faixa de idade deve praticar pelo menos 60 minutos de atividades físicas diárias, sejam moderadas (caminhada para a escola, jogos recreativos) ou intensas (corrida, jogos esportivos), somando 300 minutos de atividades físicas na semana.

Para quem tem de 18 a 64 anos, a OMS recomenda, por semana, 150 minutos de atividade moderada, ou 75 minutos de atividade intensa. Entre as alternativas estão caminhar, pedalar, fazer serviços domésticos, praticar jogos e esportes. As atividades devem ser realizadas em períodos de pelo menos 10 minutos de duração.

A partir dos 65 anos, a OMS recomenda a realização de atividade física moderada semelhante à da faixa etária anterior, de preferência em grupo, três dias por semana, no mínimo, em intensidade que varia de acordo com as condições de saúde e de mobilidade de cada um. De forma geral, por semana, são suficientes 150 minutos de atividade moderada ou 75 minutos de atividade intensa. Para todas as idades, vale a lembrança de que o aumento do tempo de atividade física potencializa os resultados.